terça-feira, 4 de novembro de 2008

... e tempo é dinheiro

Treco relativo é mesmo o tempo, não é não? Tempo que passa rápido, tempo que se arrasta, tempo que não passa nunca e são todos sempre o mesmo tempo. Há tempos meus dias passam muito rápido, rápido mesmo. Quando eu vi já não deu tempo de fazer metade do que eu tinha me programado pra fazer. Na verdade o tempo só foi devagar para mim quando eu era criança mesmo. Depois disso ele só quer passar voando. Na verdade também preciso confessar que eu sou praticamente um bicho-preguiça. Tudo meu é devagar quase parando. Minhas amigas que o digam que me agüentam no meu eterno atraso para qualquer coisa que se marque. Outro dia eu estava assistindo Charlie e Lola com meu filho bebê e vi um episódio que era meu mais fiel retrato. Charlie explicava que sua irmãzinha Lola sempre se atrasava para qualquer ocasião, mas Lola retrucava justificando que ela tinha muita coisa para fazer: ela precisava escovar os dentes do leão, espantar as baleias da banheira antes de tomar banho, achar o casaco dos cachorros dançarinos antes de sair e em cada uma dessas atividades ela gastava preciosos minutos perdida entre suas fantasias. Olha eu aí. Cada coisa que eu tenho para fazer, tenho mais um milhão de pensamentos para pensar e cada um deles exige muito de mim. Não dá pra pensar enquanto se faz coisas. Eu perco preciosas horas pensando, ou pior, fantasiando. Oito anos de análise e ainda tento descobrir o que fazer de produtivo com isso. Sei não. Segundo Lars von Trier, só matando. Pelo menos foi esse o final que ele deu àquela personagem Selma, interpretada por Björk, em Dançando no Escuro, lembram? Ela é condenada à forca... por enquanto só estou condenada à prisão do tempo. É ele que me limita a fazer tantas coisas que eu poderia se ele me desse um pouco mais de si! Preciso dele pra sonhar e pra agir. Preciso dele mais do que o que ele pode me dar. Isso não é nada bom em uma relação, pensando bem. Talvez seja isso. Uma questão de ajustar os ponteiros desse relacionamento. Talvez eu e o tempo estejamos precisando somente de um novo recomeço. Eu começo sendo menos exigente e ele menos castrador. Na prática, quero refazer meu projeto de mestrado, quero preparar umas aulas, quero filmar um roteiro que eu mesma escrevi, quero aprender mais sobre internet e disponibilização de material na mesma, quero fotografar, quero escrever minhas coisas sem utilidade, quero cuidar do meu filho, namorar, sair, me exercitar, ir ao cinema... é só isso.

5 comentários:

Brighith disse...

Olá, ótimo o texto...me sinto meio lerda diante do tempo que voa diante dos meus olhos...completamente perdida...desculpe a invasão, acho que os blogs são bons pois você expressa o que quer e pessoas que você nunca viu te deixam comentários...curioso...huum...se quiser dar uma olhada no meu...está a disposição..
Até,
Raquel V.

Pin Hole disse...

Jú, cada texto seu percebo o quanto somos parecidas. Também me perco na minhas fantasias. Mas, não sou tão lenta quanto você, é verdade, já que não deixo ninguém esperando por longas horas, brincadeira. Você parece Lúcia já vou indo, é uma estorinha infantil linda de morrer que li criança. Você deveria ler para Tom, ele vai gostar. Saudade de vocês dois. Vai colocando as coisas em prática, mesmo que seja aos pouquinhos. Diz para esse rapazinho que a tiazona dele tá doida para dar um abraço apertado e ouvir ele falar todas as palavrinhas novas que ele aprendeu. Um beijo grande.

chica ines disse...

OI amiga,
Essa ai sou eu viu? tirando é claro os atrasos que me deixavam louca de raiva,rsrsrsrs. Voce é mais um estadistica nesse mundo do tempo do aqui e agora e já!! Por sorte a velocidade do tempo nao apaga as minhas maravilhosas lembranças de quando eu tava ai pertinho de voce.
beijos com muitas saudades
Ines

chica ines disse...

OI amiga,
Essa ai sou eu viu? tirando é claro os atrasos que me deixavam louca de raiva,rsrsrsrs. Voce é mais um estadistica nesse mundo do tempo do aqui e agora e já!! Por sorte a velocidade do tempo nao apaga as minhas maravilhosas lembranças de quando eu tava ai pertinho de voce.
beijos com muitas saudades
Ines

Paloma disse...

Eu te acompanho e te ajudo em várias dessas tarefas, sempre surpreendentemente paciente como não costumo ser, mas, já te conhecendo bem, chego em sua casa preparada para os longos momentos de espera e de gritar entre seus devaneios "falando e fazendo juana, falando e fazendo"... hehehehe.. até porque, duas malucas se entendem bem!
esse é sem dúvida um de seus melhores posts...;)