quarta-feira, 18 de março de 2009

recidade

São Paulo, do meu ponto de vista baiano, é a cidade dos erres. Nunca ouvi tanto erre em minha vida! Como essa letra fica em evidência por aqui. Tanto que às vezes me parece outra língua. Eu, baiana que me perco em suas ruas e seus tantos nomes, me encontro várias vezes concentrada no ruído do erre e, ops!, perdi o rumo do que estavam falando. Fiquei pensando como o erre é tão paulista! O erre é irritante, uma letrinha irritante e ruidosa como São Paulo bem sabe ser. O erre é também uma letra de movimento. Faz a língua vibrar pra gente falar ela. São Paulo é vibrante! O erre quando tem som de “rê” de rato parece uma reta, mas São Paulo é como o “rrrr” de espiral. São Paulo: um espiral. É bom pensar na cidade assim.

4 comentários:

Book of Lies disse...

Putz, sempre achei a mesma coisa !!!
E qdo tem o sotaque do interiorrrrrrrrrrrrr fica ainda pior.

Bjo, saude e sucesso p vc e familia.

Pin Hole disse...

Jú, me identifiquei quando você diz que se perde prestando atenção nos rrr dos paulistanos. Por que a gente é assim? Por que a gente desvia e vai para outro foco. Engraçado é que você é a amiga que eu mais identifico esta característica que tb é minha. Adorei. Curtinha mas uma bela crônica.

Anônimo disse...

adorei! é isso mesmo! uma cidade de erres dobrados, erres retos...
enfim, só são paulo!

bjo,

Nanda

Paloma disse...

tô gostando de ver.. atualizações...
e outro dia me peguei falando um ó com som de ô... fiquei assustada.. mas acho que com os erres, não corro perigo!
saudades..